Muito Mais do Que Saudade

Queremos saber a tua opinião!
Translation missing: pt-PT.products.product.price.regular_price $24.17
Translation missing: pt-PT.products.product.price.sale_price $24.17 Translation missing: pt-PT.products.product.price.regular_price
Estás a poupar
IVA incluído
Sinopse

Está no ADN dos povos o modo como abordam a viagem, e os Açorianos são um povo de viagem. Viajam porque é a viagem o que os separa do mundo. Viajam porque é a viagem o que os separa da sobrevivência. Viajam porque não podem confinar-se, por mais um momento que seja, às fronteiras da ilha — àquela pequenez, àquele horror. E, contudo, sucumbem à falta dela ao fim de poucos dias. Mas onde está o verdadeiro regresso? No que regressa de facto ou no que o foi atrasando, porque nunca partiu? Dito mais à maneira de Chatwin: onde está o nómada? O nómada é aquele que viaja ou, pelo contrário, aquele que fica? É o que leva a casa consigo para onde quer que vá ou o que permanece no mesmo sítio, a sonhar com a viagem?

E que papel representa nisso a ideia de casa? Que casa é essa a que se regressa? Que casas existem? Onde fica a nossa casa durante a nossa ausência? Que género de casa podemos construir nesse outro lugar de onde não somos? E é de regresso mesmo que falamos, afinal, ou é outra a palavra?
Durante um ano, Joel Neto e Catarina Ferreira de Almeida viajaram pelas ilhas dos Açores e os principais destinos da diáspora açoriana, à procura da pirâmide lexical do regresso a casa. Realizado sob a égide da FLAD — Fundação Luso-Americana Para o Desenvolvimento, o projecto deu origem ao filme O Caminho de Casa (www.vimeo.com/ocaminhodecasa), com realização de Arlindo Horta e estreia na RTP, e conclui-se agora com Muito Mais do Que Saudade.

O futebolista Pauleta ou a museóloga Andreia Silva, o casal operário Maria e António Linhares ou o gestor Ângelo Garcia, braço direito de George Lucas: as entrevistas recolhidas percorrem extractos sociais, géneros e idades, além de geografias. Afinal, o que prende essas pessoas, todas essas pessoas, todos esses tipos de pessoas (se disso alguma vez se poderá falar), àqueles “nove torrões espalhados no mar” por que, na flor da idade e no topo da carreira, o executivo Roberto Lino trocou o Silicon Valley?

Detalhes

Chancela: Cultura

ISBN: 9789898979391

Edição: fevereiro de 2020

Dimensões: 170 x 240 x 33 mm

Encadernação: capa dura

Páginas: 384

Informações Sobre o Envio

As encomendas são enviadas após a confirmação do pagamento. Encomendas pagas até às 14h00 são processadas no próprio dia. Após essa hora serão processadas no dia útil seguinte. As pré-vendas apenas são enviadas no dia da publicação do livro.

Se a tua encomenda incluir um ou mais livros em pré-venda, a mesma só será expedida quando todos os livros estiverem disponíveis, ou seja, na data de lançamento do último livro a sair.

Opiniões